sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Há 50 anos calava-se a maior voz feminina do jazz/blues: Lady Day

billie_holiday[5]


No dia 17 de julho de 1959 toda a melancolia de Billie Holiday (ou simplesmente Lady Day) juntava-se para sempre às estrelas de primeira grandeza do infinito. Morria então a voz triste e o profundo lamento do jazz/blues. A voz que parecia sintetizar uma dor viva, com interpretações lancinantes, calava-se para sempre. E a música perdia assim um pouco de sua poética e de sua emoção.