segunda-feira, 9 de novembro de 2009

O Beijo No Muro

Um ano depois da queda do Muro de Berlim (9/11/1989), 118 artistas internacionais foram convidados para decorarem com murais coloridos o trecho remanescente de 1,3 km, batizado como Galeria do Leste. 
Entretanto, a ação de pichadores, a passagem do tempo e a poluição causaram a deterioração do que restou do Muro, uma barreira de concreto de 155 km de extensão (43 km no perímetro urbano de Berlim), erguida em 13 de agosto de 1961 e que dividiu a Alemanha durante toda a Guerra Fria.
Desde 2000, essas pinturas têm passado por um processo de revitalização. Muitos artistas que participaram da elaboração do painel original foram chamados para restaurar os próprios trabalhos ou recriar novos painéis.
Entre eles, está o artista plástico russo Dmitry Vrubel que refez a pintura do famoso beijo entre os líderes comunistas Erich Honecker (Alemanha Oriental) e Leonid Brezhnev (antiga União Soviética). A terceira pintura mostra o carro Trabant, o maior símbolo da indústria da antiga Alemanha Oriental, “atravessando” o Muro de Berlim.
Exposição
De hoje até o dia 15 de dezembro, o Instituto Goethe (SP) apresenta a exposição “1989-2009: 20 Anos Após a Queda do Muro de Berlim”. Entre várias atividades, será exibido os trabalhos de um videomaker e um fotógrafo alemães.
"Grenzfall" (Queda da Fronteira) é produzido por Norbert Enkere e apresenta, por meio de uma projeção de imagens, as transformações que ocorreram no muro de Berlim no período de dezembro de 1989 a março de 1992.
Já o fotógrafo Stefan Koppelkamm apresenta “Ortszeit” (Horário Local), uma instalação formada por fotografias do Muro, que se complementam com comentários do próprio artista, adicionadas a informações sobre cada construção e detalhes marcantes.