sábado, 6 de fevereiro de 2010

140.000.000 de mulheres vivem com mutilação genital

Segundo estimativa das Nações Unidas, entre 120 milhões e 140 milhões de mulheres e meninas foram submetidas a esta prática dolorosa e perigosa que é alimentada por preconceitos sociais e religiosos.
O relatório conjunto realizado por agências da ONU, entre elas a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), aponta que 3 milhões de meninas e adolescentes correm perigo este ano de sofrer esta prática.
Por causa do Dia Internacional contra a Mutilação Genital Feminina(*) que está sendo realizado hoje, a OMS, Unicef, o Fundo das Nações Unidas para a População e Unaids, entre outras, disseram que esta prática tem sido reduzida devido ao envolvimento das comunidades e das famílias nos países onde isso ocorre. Mas está bem longe de ser eliminada totalmente. Mais (castelhano)
Imagem: Campanha da Anistia Internacional sueca para conscientização contra a mutilação genital.
(*) A Mutilação Genital Feminina (sigla MGF), termo que descreve esse acto com maior exactidão, é vulgarmente conhecida por excisão feminina ou Circuncisão Feminina. É uma pratica realizada em varios países principalmente da África, e da Ásia, que consiste na amputação do clitóris da mulher de modo a que esta não possa sentir prazer durante o acto sexual.