quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Parabéns Pra Você…

nesta data querida/

muitas felicidades/

muitos anos de vida...

Pixinguinha = clave do sul

Pixinguinha morreu vítima de um enfarto, em 17 de fevereiro de 1973. E com ele se foi parte da alma musical brasileira. Nascido Alfredo da Rocha Vianna Jr., em 23 de abril de 1897, Pixinguinha é que se pode chamar de o genial criador da música brasileira.

Ele não era “só” um virtuoso da flauta. Era um compositor de rara genialidade, maestro e um arranjador como poucos no universo musical tupiniquim (e desse mundão de meu Deus). Arrajou os principais sucessos da então chamada época de ouro da música popular brasileira, orquestrando de marchas de carnaval a choros.

Era um estudioso sempre à procura de novos elementos que dessem à musica brasileira uma linguagem própria. Criou o que hoje são as bases da música brasileira. Foi ousado ao fundir a então incipiente música popular brasileira aos ritmos africanos, à música negra americana e europeia. Foi de suas entranhas que nasceu a genuína música brasileira

Só lamento seu esquecimento. Foi assim no seu centenário de vida e é agora. A tal Beyoncé até hoje ocupa vasto espaço em toda a mídia tupiniquim, que não se cansa de papagaiar os seus “atributos” de cantora depois de ter abocanhado 6 Grammys. De Pixinguinha nem uma linha, nem uma palavra, nem um imagem, nem uma nota musical sequer. Aos olhos do Brasil ele nunca existiu.

Sarava!, Pixinguinha.