sábado, 20 de março de 2010

Drogas Por Capoeira

amy_winehouse_at_the_mandela_concert

Enquanto está às voltas com a produção do seu terceiro disco, Amy Winehouse resolveu dar um tempo nas drogas e álcool e partiu para a capoeira. É isso mesmo. Finalmente uma notícia sem que ela esteja metida em algum tipo de confusão. Emfim, se a mulher já é um perigo ambulante sem conhecimento de lutas, imagina só agora ela dominado golpes como “rabo de arraia”, “solta mola” e os tantos outros “meia-luas”. Fodeu.

Mas brincadeira à parte, Amy Winehouse é sem dúvida uma das melhores cantoras que surgiu nos últimos 20 anos na música pop inglesa. Entretanto, o seu quase instinto de autodestruição a tem levado pra manchetes dos tablóides sensacionalistas inglesas não por sua música, mas sim pelos sucessivos escândalos e problemas de saúde.

amy - site

Apesar da sua pouca idade (27 anos) e da sua curtíssima carreira, Amy é hoje sucesso de crítica e público. Não é só uma bad girl porra-louca. É talento espontâneo. Não é um produto da indústria fonográfica, que já vem embalado, com rótulo produzido pelos melhores markequeteiros, com código de barras e data de validade. Nada disso. Ela é verdadeiramente uma artista, que canta, compõe e que participa da produção de seus discos.

Com um timbre de voz das cantoras negras de jazz e blues, Amy já chegou a ser comparada com Aretha Franklin. O que, aliás, não é exagero algum. Sempre bem acompanhada por excelentes músicos, ela sabe como usar o seu recurso vocal para temas que vão desde a música negra norte-americana ao pop. Aqui o site oficial da cantora.