quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Quando a beleza é altamente prejudicial à mulher

linha fina
Segundo estudo, mulheres bonitas são discriminadas quando tentam vagas em trabalhos considerados masculinos.
Engana-se quem pensa que beleza é fundamental. Pelo menos em algumas profissões quanto mais bonita a mulher é, pior pra ela. Principalmente se ela concorrer a uma vaga para um trabalho considerado masculino.
Segundo estudo realizado pela Escola de Negócios da Universidade de Denver, Colorado (Estados Unidos), mulheres bonitas são discriminadas quando tentam vagas em trabalhos considerados masculinos nos quais a aparência não é considerada importante.
Engenharia mecânica, diretora de finanças, mestre-de-obras, motorista de veículos pesados, carcerária, vendedora de hardware e gerente de pesquisa e desenvolvimento são algumas atividades enumeradas pela pesquisa. Nestes casos, as feias são consideradas as mais aptas e têm as melhores chances de brigar por uma vaga.
"Nestas profissões, ser atraente é altamente prejudicial para as mulheres. Em outros tipos de emprego, mulheres bonitas são as preferidas. Mas o mesmo não acontece com os homens bonitos, que são considerados aptos para qualquer. Isso demonstra que ainda existe um duplo padrão quando se trata de gênero”, diz Stefanie Johnson, professora-assistente de administração e coordenadora da pesquisa.