sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

As 25 mulheres mais poderosas do último século

assinatura post A lista é polêmica e eclética. Entre os nomes escolhidos pela Time constam, por exemplo, o da titia Madonna, a ex-rainha do pop, e da madre Teresa de Calcutá.


A revista norte-america Time divulgou recentemente uma lista com as 25 mulheres, que segundo seu juízo, são consideradas as mais poderosas dos últimos 100 anos.

Nela figuram nomes bem atuais e conhecidos como a secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, e o da popstar Madonna, juntamente com a madre Teresa de Calcutá e a ativista feminista norte-americana, Jane Addams. A lista não estabelece um ranking entre as escolhidas.

Jane Addams – A primeira mulher norte-americana a ganhar o Prêmio Nobel da Paz,em 1931. Era socióloga e feminista. Foi ferrenha defensora dos direitos civis femininos, entre eles o direito ao voto. Também lutou pelos direitos trabalhistas das mulheres.

Coco Chanel - Gabrielle "Coco" Chanel revolucionou a década de 1920. Libertou a mulher daqueles trajes desconfortáveis e rígidos do final do século 19, ao estabelecer o conceito da roupa feminina funcional. Além de dar à mulher um novo look, ela cria a imagem da nova mulher do último século: independente, bem-sucedida, com personalidade e estilo.

Indira Gandhi - Foi a primeira mulher a se tornar chefe de governo na Índia (1967) em uma atuação bastante polêmica. Com uma força e determinação únicas Indira governou por 18 anos exercendo uma influência decisiva na história daquele país e adquirindo uma grande reputação no mundo todo como líder política. Seu slogan era: “Abolish Poverty” (algo como, Abaixo a Pobreza)
Marie Curie - A física polonesa Maria Skodowska Curie foi uma importante figura história da Ciência. Ela foi a primeira mulher a ganhar um prêmio Nobel, ao se destacar como pesquisadora dos fenômenos radioativos. Com ela, começa a se desenvolver de fato a pesquisa da energia atômica.

Golda Meir - Ela se dedicou à causa sionista e foi uma das fundadoras do Estado de Israel, em 1948. Pelas posições que adotou quando primeira-ministra, em 1969, foi taxada de a "dama de ferro", bem antes do termo ser adotado para descrever a ex-premiê britânica Margareth Thatcher.

Virgínia Woolf - Ela fez parte do grupo de Bloomsbury, bairro londrino que servia de ponto de encontro para os intelectuais que questionavam as tradições literárias, políticas e sociais da era vitoriana, cujos maiores objetivos eram a verdade, liberdade de expressão, amor pela arte e respeito à individualidade.

Madre Teresa de Calcutá - Foi uma missionária católica albanesa, nascida na República da Macedônia e naturalizada indiana. Foi beatificada pela Igreja Católica em 2003. Considerada, por alguns, a missionária do século 20, fundou a congregação "Missionárias da Caridade", tornando-se conhecida ainda em vida pelo cognome de "Santa das sarjetas".
Gloria Steinem - É uma jornalista e ativista feminina norte-americana. Sua atuação como escritora e palestrante durante os anos 1960 auxiliaram o movimento feminista e anti-racista a ampliarem sua atuação na sociedade norte-america.

Corazón Aquino - Foi presidente das Filipinas, entre 1986 a 1992, e a primeira mulher a ocupar este cargo em um país asiático. Foi a principal líder do movimento que derrubou o ditador Ferdinand Marcos do poder.
Além das 9 que selecionei, constam da lista:
Madonna, estrela pop
Aretha Franklin, cantora
Eleanor Roosevelt, ex-primeira dama dos EUA
Julia Child, cozinheira americana
Hilary Clinton, secretaria de Estado americana
Estée Lauder, fundadora de uma empresa de cosméticos
Sandra Day O’Connor, jurista americana e primeira mulher a integrar a Suprema Corte dos EUA
Rosa Parks, ativista americana pelos direitos humanos
Jiang Qing, viúva do líder chinês Mao Tsé-tung
Margaret Sanger, pioneira defensora do controle da natalidade
Gloria Steinem, feminista.
Angela Merkel, chanceler alemã
Martha Stewart, apresentadora de televisão
Margaret Thatcher, ex-primeira-ministra britânica
Oprah Winfrey, apresentadora de televisão
Rachel Carson, bióloga americana
Margaret Mead, antropóloga americana