segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Mulheres totalmente rock 'n' roll

assinatura Mulheres que foram pioneiras ou que de alguma forma influenciaram este maravilhoso universo chamado rock 'n' roll.

The Velvet Underground & Nico_thumb[3] Desde sempre o rock foi associado à liberdade sexual, à quebra de tabus sociais e, sobretudo, à luta pela igualdade de gêneros. Mas quando falamos da participação feminina no universo rock 'n' roll a contradição é fragrante. Ele é ainda um espaço ocupado na sua maioria por cuecas .
Felizmente, aos poucos a mulher tem penetrado essa barreira e com muita competência vem mostrado que é capaz de fazer música de qualidade. Muitas delas são bem talentosas no que fazem, além de serem (algumas delas) bem gostosas - é claro -  e verdadeiras divas da transgressão.
Apesar de muitos considerarem Brenda Lee ou Aretha Franklin como as pioneiras, não as considero. A primeira, apesar de ter iniciado carreira fazendo rockabilly, enveredou rapidinho para o country. Já Aretha é totalmente “soul”. A sua única relação com o rock foi escrever o seu nome no Hall da Fama do Rock n’ Roll, em 1987. Feita esta ressalva, vamos a elas.


nico - chelsea_girl A rigor, a primeira mulher a penetrar nesse fechado clube do Bolinha foi a cantora húngara Nico (Christa Päffgen). Ela compôs o emblemático “The Velvet Underground & Nico” (1966), grupo liderado por Lou Reed, cujo disco homônimo fora produzido por Andy Warhol. O “disco da banana”, como ficou conhecido, foi a semente de uma revolução musical que iria influenciar o rock para sempre (veja vídeo).

Em 1967, Nico lança o seu primeiro álbum solo, o "Chelsea Girl ". Outros discos vieram a seguir, mas foram apenas sucesso de crítica.  Em 1988, pouco tempo depois de ter abandonado o vício da heroína e do álcool, Nico sofreu um infarto enquanto andava de bicicleta em Ibiza (Espanha).  Bateu a cabeça no chão e morreu de hemorragia cerebral poucas horas depois.
A lista é pequena, mas é composta apenas por mulheres que, segundo o meu entendimento, foram pioneiras ou influenciaram de alguma maneira este vasto universo musical conhecido carinhosamente por rock. Vamos a elas então.
Janis Joplin[5] Janis Joplin - Ela é a primeira grande voz do rock. Mas morreu prematuramente em 04/10/70, aos 27 anos, vítima de overdose de heroína. Começou sua carreira em 1966, quando foi convidada a fazer parte da banda Big Brother and the Holding Company (grupo muito fraco para o talento dela). Dois anos mais tarde, deixou a banda e seguiu carreira solo. Influenciada pela diva Bessie Smith, com uma forte levada blue, levou às últimas conseqüências a tríade “sexo, drogas e rock 'n' roll. Gravou originalmente apenas 3 discos: Big Brother and the Holding Company (1967), Cheap Thrills (1968) e Pearl, lançado após a sua morte, em 1971. Veja vídeo.
Suzi Quatro[5] Suzi Quatro - Aos 15 anos ela tinha o rock 'n' roll nas veias e já  tocava contrabaixo. Em 1964, formou com suas irmãs a Pleasure Seekers . Em 69, juntou-se à banda Fanny, talvez a primeira girl band de rock a produzir um disco por uma grande gravadora e a fazer sucesso. Como artista solo, lança, em 1972, o  seu primeiro disco: "Rolling Stone". Veja vídeo.
patti smith[5] Patti Smith - É sem dúvida alguma a pioneira do punk rock de calcinha. Considerada a poetisa do punk, ela também é pintora, guitarrista e ativista feminista. Gravou o seu primeiro disco em 1975, “Horses”. Compositora de letras arrasadora e grande qualidade poética, Patty foi uma das grandes referências pra roqueir@s de todo o mundo. Ah, adivinha qual foi a sua grande influência? Resposta: The Velvet Underground”. Veja vídeo.
Siouxsie Sioux[5] Siouxsie Sioux - Considerada por muitos a primeira diva do gótico, Siouxsie Sioux não poderia faltar  nesta  reduzida lista. Em 1976, cria a banda “Siouxsie and the Banshees”, grupo por onde passaram Sid Vicious (Sex Pistols) e Robert Smith (The Cure). Preciso dizer mais? Veja vídeo.
The Runaways[4] The Runaways - Bem, vamos a elas. Musicalmente o “The Runaways” não traz nada de novo, exceto um certo frescor, colorido e sensualidade ao universo metalhead. Criado em 1975, lança no ano seguinte o seu primeiro álbum, "Runaways". Com o lançamento do "Queens of Noise" (1977), começam as ciumeiras, os chiliques, os barracos. Resultado: é decretado o fim da banda em 1979. De qualquer forma, não deixa de ser uma boa referência no mundo do rock. Não gosto muito as meninas, mas vou ver o filme por pura curiosidade. Veja vídeo.
Chrissie Hynde Chrissie Hynde - Foi inegavelmente a grande líder do Pretenders. Creio que sem ela o grupo não existiria. A banda lança o seu primeiro álbum em 1980. “Pretenders” (nome também do disco) mostra um rock bem tradicional na onda efêmera da new wave, com uma certa levada punk. Veja vídeo.


Jan Kuehnemund   - Guitarrista e cantora (backing vocal), Jan Kuehnemund  chegou a ser chamada de a “Bom Jovi de saias”. Participou inicialmente de uma banda mista, mas, para a nossa sorte, caiu fora rapidinho devido à dor de cotovelo dos cuecas machistas. Em 1980, cria a Vixen, considerado o maior representante feminino do hard rock, que fez do seu álbum de estréia homônimo (1988), um verdadeiro fenômeno de vendas em todo o mundo. Veja vídeo.
love_bethditto-clave dosul_thumb[3][4] Beth Ditto - Contrariando os padrões da moda e beleza, a vocalista do The Gossip é transgressora, feminista, lésbica, não tem vergonha de seu corpo e já foi considerada uma das personalidades mais cool do mundo pop. Em 2007, ficou nua na NME. e o ano passado foi capa da revista britânica “LOVE”. Neste caso, destaco a Beth Dito apenas como “atitude rock 'n' roll”. Veja vídeo.


The Iron Maidens  - Esta eu não conhecia. É só por curiosidade.  Encontrei ziguezagueando pela rede. Trata-se da  The Iron Maidens, uma banda tribute do Iron Maden. As meninas são ótimas e bem fiéis ao original. A vocalista, então, dá um banho. Vale conferir estas maravilhosas donzelas de ferro.

Rita Lee[4] Rita Lee - Claro que tem de ter um sotaque brazuca nesta história toda. E a brazuca chama-se Rita Lee, o sinônimo de rock tupiniquim. Ela começou sua carreira em 1966 como vocalista dos tropicalistas “Os Mutantes”. Expulsa do grupo, grava em 1973 “Cilibrinas do Éden”, mas o disco nunca foi lançado. No ano seguinte, cria o Tutti Frutti e lança primeiro álbum, "Atrás do Porto tem uma Cidade", disco que iria transformá-la na maior ícone de todos os tempo do rock brasileiro. Veja vídeo.
Nora Ney_thumb[4] Vale lembrar que a primeira mulher a gravar um disco de rock no Brasil foi Nora Ney, até então uma conhecida intérprete de sambas de fossa . Isso aconteceu em 1955, quando ela grava a música “Rock Around the Clock” (Bill Harley e seus Cometas). A música foi gravada na letra original, mas o título foi transformado em “Rondas da hora”.
 Cores_verde-branco Todo o lirismo gótico
 Epica_simone_simons Com seus vocais líricos, perfeitos para arranjos orquestrados, muitas mulheres passaram a liderar muitas bandas góticas. Como referência (e apenas como referência, pois tem muitas outras), cito os exemplos de  Epica, com Simone Simons (foto); Lacuna Coil, com Cristina Scabbia; Sirenia, com Ailyn.