quarta-feira, 2 de março de 2011

Amor por Hitler faz Galliano perder emprego na Dior

assinatura post A maison Christian Dior despediu estilista britânico após ser acusado de racismo, antissemitismo e dizer em vídeo publicado pelo jornal The Sun que ama Hitler.

John Galliano A grife francesa Dior anunciou nesta terça-feira (1º) que deu início ao processo de demissão do estilista John Galliano. Chefe de criação da marca desde 1996, ele foi suspenso de suas atividades depois de ter sido detido em Paris, na última quinta-feira (24), acusado de ofensas antissemitas.

Tudo começou na semana passada quando um casal de franceses bebia uma cerveja no La Perle, um dos cafés da moda em Paris, quando o estilista sentou-se à mesa e em seguida começou a ofender um casal ao lado com comentários racistas e antissemitas: “sua porca judia, devias estar morta. Já ao homem, que é de origem asiática, disse “safado asiático, vou te matar”.
Mas a gota de água para a demissão de Galliano foi um vídeo publicado pelo jornal britânico “The Sun”, na última segunda-feira (28), onde o estilista aparece bêbado e provocando duas clientes judias do La Perle com frases do tipo: "Eu amo o Hitler, "Pessoas como vocês deviam estar mortas" e “Os seus antepassados e suas mães deveriam ter sido mortas em câmaras de gás”, disse Galliano sem saber que estava sendo filmado.
63730040 Natalie Portman, vencedora do Oscar de melhor atriz, foi a primeira a reagir aos comentários insultuosos. "Estou chocada e enojada", disse ontem a atriz que fez recentemente uma campanha publicitária do perfume "Miss Chérie" da Dior. "Tenho orgulho em ser judia e não quero estar associada a ele de forma alguma.
Cores_verde-branco O pedido de perdão (atualização)
hitler John Galliano negou nesta quarta-feira (02) as acusações de antissemitismo e racismo, mas pediu perdão por sua conduta, em um comunicado publicado por seus advogados em Londres.
"Nego totalmente as acusações contra mim e cooperarei plenamente com a investigação da polícia", declarou o estilista, acrescentando:
"Antissemitismo e racismo não têm lugar em nossa sociedade. Eu peço desculpas pelo meu comportamento se causei alguma ofensa". Depois disso, Galliano embarcou para os Estados Unidos onde fará um tratamento de reabilitação alcoólica.
Fontes: Ionline, EFE e The Sun.