sábado, 23 de julho de 2011

R.I.P Amy Winehouse

assinatura post Repito neste post o que escrevi em 30 de março deste ano. Amy Winehouse é sem dúvida uma das melhores cantoras que surgiu nos últimos 20 anos na música pop inglesa. Entretanto, o seu instinto de autodestruição a tem levado pra manchetes dos tablóides sensacionalistas inglesas não por sua música, mas pelos sucessivos escândalos e problemas de saúde devido ao consumo de álcool e drogas.
Apesar da sua pouca idade (27 anos) e da sua curtíssima carreira, Amy é hoje sucesso de crítica e público. Não é só mais uma bad girl porra-louca da industria fongráfca. É talento puro e espontâneo. Não é um daqueles produtos do showbiz, que já vem embalado, com rótulo produzido pelos melhores markequeteiros, com código de barras e data de validade. Nada disso. Ela é verdadeiramente uma artista, que canta, compõe e que participa da produção de seus discos com muito talento.
Com um timbre de voz poderoso como o das cantoras negras de jazz/blues, Amy já chegou a ser comparada com Aretha Franklin. O que, aliás, não é exagero algum. Sempre bem acompanhada por excelentes músicos, ela sabe como usar o seu recurso vocal para temas que vão desde a música negra norte-americana (em especial o soul) ao pop.E tudo com algumas cenas de suas tragédias pessoais,  cujo epílogo infelizmente já era previsto e anunciado.
Enfim, com a sua morte prematura, a música também lamenta um pouco. Abaixo, um vídeo legendado com um de seus maiores sucesso: Rehab (expressão para reabilitação).
R.I.P Amy Winehouse.
   
A cantora deixou apenas 2 albuns de estúdio, Mas trabalhava na gravação do terceiro.
O seu álbum de estréia, "Frank", lançado em outubro de 2003, apesar de ter sido sucesso absoluto na Inglaterra e aclamado pela crítica, quando Amy tinha apenas 20 anos, não saiu da Inglaterra.
Já o seu segundo álbum, "Back to Black" (2006), recebeu 6 indicações para o Grammy 2008, das quais venceu 5: Canção do Ano, Gravação do Ano, Artista Revelação, Melhor Álbum Vocal Pop, Melhor Performance Vocal Pop Feminina.
Apesar de ter apenas estes 2 álbuns de estúdio, Amy Winehouse teve "Rehab" eleita pelos críticos de música uma das canções mais influentes da década 2000-2009.
Canção inédita - O produtor Salaam Remi divulgou uma versão inédita da canção “Some Unholy War,” de Amy Winehouse. Ele conta que a canção deveria ter sido inserida no disco Back to Black , mas Amy simplesmente disse que não queria, sem dar maiores explicações.
Cores_verde-branco Curiosidades
- Com apenas 10 anos, Winehouse fundou a banda de rap “Sweet 'n' Sour, as Sour”. Aos  16 já cantava profissionalmente nos pubs de Londres ao lado de um amigo, o cantor de soul Tyler James.
- Aos 13 anos, e após receber a sua primeira guitarra, Amy decide colocar o seu primeiro piercing (no nariz). Pouco tempo depois, faz a sua primeira tatuagem (Betty Boop nas costas). Ao todo, foram desenhadas mais de 25 tatoos.
- Quanto às tatuagens, entre tantas,  Amy tem no braço direito o desenho de um pássaro com a inscrição “never clip my wings” (nunca amarres as minhas asas). No braço esquerdo tem uma pin-up e uma ferradura onde se lê “daddy's girl” (menina do papai). Já no antebraço esquerdo tem uma pena. Além de uma âncora na barriga, escrito "hello saylor" (olá marinheiro). Finalmente, tem tatuado sobre o seio esquerdo um bolso, e logo escrito a cima Blake's.
- O nome do seu primeiro disco, ”Frank”, foi uma homenagem ao seu grande ídolo Frank Sinatra.
- "Rehab" foi eleita pelos críticos de música uma das canções mais influentes da década 2000-2009.
- Na música “Rehab”, Amy menciona os nomes Ray e Mr. Hathaway. São referência aos cantores soul Ray Charles e Donny Hathaway.
- O segundo álbum, "Back to Black", foi totalmente composto inspirado no seu então ex-namorado Blake que a largou para ficar com sua ex. Back to black significa algo como "de volta à escuridão”.
Cores_verde-branco  Clube 27
Amy Winehouse é a mais nova integrante do chamado “Clube 27”, ou seja: os grandes ídolos do rock que morreram aos 27 anos de idade.
A formação deste “clube” mórbido começou em 1960 com a morte de Brian Jones (Rolling Stones), seguiu-se a morte de Jimi Hendrix e Janis Joplin em 1970. O líder do The Doors, Jim Morrison, morreria em circunstâncias misteriosas um ano depois.
De acordo com o livro “Heavier Than Heaven” (biográfico), a irmã de Kurt Cobain afirma que, quando criança, o líder do Nirvana dizia o quanto queria entrar para o clube dos 27. Em 1994, Kurt suicidou-se com um tiro de espingarda em sua boca.