quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Escândalo na moda: Coco Chanel era espiã nazista

assinatura post Um novo escândalo sacode o mundo da moda. E desta vez não se trata John Galliano, acusado de racismo, anti-semitismo e dizer em vídeo que ama Hitler. Agora é a vez da quase lendária estilista Coco Chanel ser suspeita de colaboração com o regime nazista.

Segunda uma nova biografia publicado nos Estados Unidos, a estilista francesa não só teve um caso com um oficial da SS, como também teria trabalhado como espiã alemã durante a Segunda Guerra Mundial.

Em seu livro “Sleeping with the Enemy: Coco Chanel's Secret War" (algo como, “Dormindo com o Inimigo: a Guerra Secreta de Coco Chanel”), o jornalista Hal Vaughan afirma ter reunido uma farta documentação que comprovaria o envolvimento da “Rainha da Moda” com o nazismo, sobretudo a sua colaboração como espiã.
Entre as revelações do livro, há documentos com o número de agente nazista de Chanel, provas de uma missão que realizou na Espanha, em troca da libertação de um sobrinho detido, e sua relação com líderes do nazismo, como Hermann Goering e Joseph Goebbels, entre outros. Há provas também que Coco tentou se apropriar de bens de seus sócios judeus. Fonte: ABC-ES
Cores_verde-branco “Intermediária da paz”
A casa Chanel defendeu o papel de "intermediária" da estilista francesa Coco Chanel durante a Segunda Guerra Mundial para alcançar um acordo de paz, negando as acusações de espionagem para os nazistas.
Em comunicado, a Chanel respondeu às denúncias do jornalista Hal Vaughan. Segundo a grife francesa, Chanel aproveitou-se de sua "relação de amizade" com Winston Churchill para atuar como intermediária entre os aliados e os alemães visando a um acordo de paz. (fonte)