segunda-feira, 17 de outubro de 2011

EUA pode criar lei anti-photoshop (ou da auto-estima)

Julia Roberts photoshopada
assinatura post O Photoshop está na mira de um grupo norte-americano com o argumento de que o uso abusivo do editor de imagens acarreta “danos sociais”. Assim, uma fundação decidiu propor a “Lei da Auto-Estima”, que entre outras coisas regulamentaria o retoque digital de modelos, atores e atrizes em publicações e campanhas publicitárias.



A campanha foi iniciada por um tal Seth e Eva Matlins, um casal que acredita que seus filhos devem “crescer livres da superficialidade e da imagem corporal da perfeição”, que tão distante da realidade poderia causar problemas físicos e psicológicos no desenvolvimento e crescimento dos adolescentes.
Julia Roberts 1_thumb[2] Julia Roberts_thumb[2]
Para reforçar tal atitude, o casal cita como exemplo a campanha da L’Oreal, onde as imagens da atriz Julia Roberts e da modelo Christy Turlington manipulados por computador foram proibidas na Inglaterra por serem consideradas enganosas.
Christy Turlington 1_thumb[2] Christy Turlington_thumb[2]
Além do exemplo acima, o casal respalda seus argumentos com base em um estudo realizado pela fundação norte-americana Dove Self-Esteem. Segundo a pesquisa, 80% das mulheres sentem-se inseguras com a sua imagem por causa da perfeição das estrelas e dos modelos. Os resultados também mostram 71% das meninas se sentem em condição de inferioridade por considerar que seu aspecto "não está a altura".
O que pretendem com essa proposta de lei é que anúncios e publicações advirtam o usuário da ocorrência de manipulação nas imagens veiculadas. Fonte: DailyMail