segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Ultrassom, o anticoncepcional masculino do futuro

Espermatozoideassinatura post Um grupo de cientistas da Universidade da Carolina do Norte (EUA) garante que uma aplicação de ultrassom nos testículos pode deter a produção de espermatozóides e, portanto, considera que este método pode ser usado no futuro como um contraceptivo eficaz do sexo masculino .

A pesquisa, publicado na revista Reproductive Biology and Endocrinology , foi testada com sucesso em ratos machos. Segundo os autores, o método pode ficar muito perto do contraceptivo ideal - barato, confiável e reversível -, mas reconhecem que ainda é necessário mais estudos para verificar os resultados e os possíveis efeitos colaterais .
A equipe liderada por James Tsuruta descobriu que 2 aplicações de 15 minutos de ultrassom de alta freqüência (3MHz) em torno do testículos reduzem significativamente a produção das células germinativas. As sessões se mostraram mais eficazes quando realizadas com um intervalo de 2 dias e através de água morna (37 graus Celsius) salgada.
Em humanos, segundo os pesquisadores, homens são considerados subférteis quando sua contagem de esperma fica abaixo dos 15 milhões/ml. A contagem de esperma nos ratos ficou abaixo de 10 milhões/ml.
A equipe afirma que são necessários mais testes para determinar a duração do efeito contraceptivo e, especialmente, se a técnica pode trazer mal à saúde caso utilizada seguidas vezes em humanos.
"Ainda precisamos de mais estudos para determinar por quanto tempo dura o efeito contraceptivo e se é seguro utilizá-lo múltiplas vezes", disse James Tsuruta.
A equipe também precisa garantir que o efeito do ultrassom será totalmente reversível, podendo ser usado com contraceptivo e não como esterilização, além de analisar se pode haver danos cumulativos com a repetição das aplicações.
"A ideia é boa, mas ainda é necessário muito trabalho", disse o professor de andrologia da Universidade de Sheffield, Inglaterra, Allan Pacey. Fonte