sexta-feira, 13 de julho de 2012

Paquistanesa é executada acusada de adultério


Ao grito de “Alá akbar” (Deus é grande), Najiba, de apenas 22 anos, foi assassinada com vários disparos diante de vários homens reunidos para assistir à sua morte em um vilarejo da Província de Parwan, Afeganistão.
O homem dispara 2 vezes na direção da mulher, mas erra o alvo. A terceira bala atinge a cabeça da vítima, que cai por terra. O que não impede o marido de disparar mais 10 vezes contra ela.
A execução sumária aconteceu depois que foram recitados trechos do Alcorão de condenação ao adultério. O ato foi saudado com gritos de "viva o Islã" e "vivam os mujahedins” (combatentes, em árabe).
Segundo a versão oficial, Najiba foi detida pelos talibãs por ter mantido “relações extraconjugais” com um comandante talibã.
Todos os meses são registrados crimes contra mulheres no Afeganistão, principalmente nas zonas rurais. Segundo a ONG Oxfam, 87% das afegãs afirmam ter sido submetidas a violências físicas, sexuais e psicológicas, ou a um casamento forçado.Fonte: AFP