domingo, 14 de outubro de 2012

Campanhas publicitárias pra lá de polêmicas

anuncios polemicosassinatura post Na publicidade, sexo, erotismo e moda andam quase sempre de mãos dadas. Muitas marcas de grife tentam cativar clientes usando imagens de mulheres insinuantes, com pouca roupa, onde o limite da sensualidade é explorado ao extremo.
Além de causar enormes polêmicas pela forte carga erótica, muitas peças publicitárias também geram controvérsias ao explorarem dogmas religiosos e comportamentais.
Pacificar foi fácil -duloren No Brasil, por exemplo, uma campanha muito polêmica foi da Duloren. O Conselho de Autorregulamentação Publicitária (Conar) recomendou a retirada da peça "Pacificar foi fácil. Quero ver dominar".
Segundo a entidade, o anúncio tinha conteúdo sexista, racista e desrespeitosa para com as forças policiais do Rio de Janeiro. Segundo a agência que criou, o objetivo era mostrar que a marca é indicada para mulheres que têm atitude.
Segue abaixo alguns deles, deste os mais recentes aos mais famosos.
Jealousy International Jealousy International (2010) - Com o slogan "sintam o romantismo da realeza britânica", a empresa de lingeries chinesa Jealousy International causou polêmica ao expor, no dia em que a Princesa Diana completou 13 anos de morte, uma série de outdoors de uma campanha de roupas íntimas inspirada em sua imagem.
L'Oreal _ julia roberts L'Oreal (2012) - O anúncio da marca Lancôme, da empresa L'Oreal, trazia fotos da atriz Julia Roberts manipuladas por computador. O anúncio foi vetado no Reino Unido porque a propaganda "não representava o resultado que o produto pode alcançar". Obrigada a retirar a peça de circulação, a L'Oreal admitiu ter retocado a imagem, mas negou que a propaganda fosse enganosa.
Urban Outfitters _ mulheres se beijando Urban Outfitters (2012) - Membros do grupo One Million Moms (Um Milhões de Mães, em tradução livre) fizeram uma campanha contra a rede de lojas Urban Outfitters por apresentar uma foto com duas mulheres se beijando no catálogo da marca. Segundo o grupo, o catálogo era impróprio e ofensivo para os adolescentes, que seria o público alvo da empresa
Benetton (1992) Benetton (1992) – O Vaticano criticou duramente o anúncio da grife italiana. E depois disso, ele foi retirado de outdoors na Itália e na França.
Opium, de Yves Saint Laurent -  Sophie Dahl. Yves Saint Laurent (2000) - O anúncio do perfume Opium, de Yves Saint Laurent, levantou polêmica devido à imagem sensual da modelo inglesa Sophie Dahl. Resultado: a peça foi banida na Inglaterra.
perfume M7 Yves Saint Laurent (2002) – Este é mais um anúncio polêmico de Yves Saint Laurent. Um modelo masculino aparece totalmente nu para a publicidade do perfume M7. Segundo o estilista, o anúncio foi o primeiro a mostrar um homem dessa maneira. Por razões óbvias,  o piu-piu do rapaz foi decorado, digamos  assim.
Sisley _ vaca Sisley (2001) – A marca é do mesmo grupo da Benetton. Esta foto da campanha de 2001 ficou famosa por mostrar uma modelo bebendo leite diretamente da fonte. Para muito, seria uma cena de sexo oral “implícito”.
Sisley-Junkie Sisley (2007) – Outra campanha polêmica da Sisley. Na imagem se vê 2 belas modelos jovens ao redor de um vestido branco e com canudinhos na mão, passando a ideia de que elas estavam cheirando o vestido da mesma forma como se fosse cocaína.
Tom Ford For Men Tom Ford ( 2007) – A peça fez parte da campanha de lançamento do perfume Tom Ford For Men, do estilista Tom Ford. Com imagens quase explícitas, as fotos foram duramente criticadas.
Dolce & Gabbana (2007) Dolce & Gabbana (2007) - O anúncio da marca italiana traz a foto de uma modelo deitada no chão, segurada por um homem e observada por mais 3. Porter sido considerado uma apologia ao estupro, a publicidade foi proibida na Espanha.
Antonio Federici Antonio Federici (2010)– Este fabricante italiano de sorvete  provocou uma enorme polêmica. Na campanha,  padres e freiras católicos aparecem em cena intimas, com slogans “Sorvete é a nossa religião”, ”beijo tentação” e “Enviar à tentação”. O mais impactante deles é o que mostra  uma mulher grávida vestida de freira com o slogan ”Concebido Imaculadamente” (foto da abertura) . A campanha foi produzida pela agência britânica  Contrast Creative.
Pamela Anderson Peta (2010) - No Canadá, um anúncio com a atriz Pamela Anderson de biquíni fazia alusão às figuras mostradas em açougues para exibir cortes de carnes de gado bovino. A peça foi banida por ser considerada machista. A legenda diz: "todos os animais têm as mesmas partes. Tenha um coração. Seja vegetariano"
Paris Hilton Cerveja Devassa (2010)- A campanha de lançamento da cerveja Devassa Bem Loura, da Schincariol, que teve a socialite Paris Hilton como garota propaganda, teve três processos no Conar. Entre as queixas, estava a "utilização de apelos à sexualidade e desrespeito moral às mulheres".
Hope, Gisele Bündchen Hope (2012) - No vídeo para a Hope, Gisele Bündchen faz uma dona de casa que bate o carro e vai contar ao marido, primeiro com roupas normais (errado) e depois apenas com roupas íntimas (certo). O anúncio foi liberado pelo Conar, mesmo após apelo da Secretaria de Políticas para as Mulheres, sob acusação de mostrar a mulher como objeto sexual.
Nivea (2012) -  Rihanna foi o rosto da campanha que comemorou o 100º aniversário da Nivea em 2011. Mas o novo CEO da empresa, Stefan Heidenreich , vetou qualquer associação da marca com a cantora pop: “Rihanna não deveria nem ter sido considerada para a imagem da marca que se preocupa em passar valores de família, ao passo que Rihanna é conhecida por sua atitude sexy, roupas ousadas e comportamento ultrajante”.