sábado, 10 de novembro de 2012

E chegou a hora da mulher partir pra briga no UFC

Ronda Rouseyassinatura post A história da mulher no esporte se dá há mais de 100 anos. Tudo começou nos Jogos Olímpicos de Paris, em 1900, com a participação de 11 mulheres entre os mais de 1000 atletas. Elas participaram de partidas de tênis e golfe.
Ronda Rousey 1 A partir daí, a presença feminina só vem crescendo a cada Olimpíada e hoje acredita-se que participação feminina já soma quase 40%. Mas apesar desse percentual vir crescendo a cada Olimpíada, ainda existe certos tabus em relação à presença feminina no esporte, principalmente nos considerados de machos. São os casos, por exemplo, do futebol e lutas.
J023935 A irlandesa Katie Taylor, considerada a melhor boxeadora do mundo entre todas as categorias e também a musa da modalidade.
Apesar do futebol ser um dos esportes mais populares do mundo, a participação das mulheres em Jogos Olímpicos só se deu em 1996, em Atlanta (EUA). Já o boxe, foi até a Olimpíada de Londres (2012) como a única modalidade olímpica que não contava com uma categoria feminina.
Hope Solo  Hope Solo, considerada a musa do Campeonato Mundial de 2011.
Fiz esse pequeno preâmbulo para dizer que vi com bons olhos Dana White, dono da franquia UFC, anunciar a abertura de portas na modalidade para as mulheres. E a primeira contratada é a musa Ronda Rousey.
A norte-americana, que é considerada a principal lutadora de MMA do momento (veja vídeo abaixo), deverá fazer sua estreia no UFC já no ano que vem. Entre as suas prováveis adversárias estão a brazuca Cris Cyborg e as norte-americanas Sara McMann e Miesha Tate.
Sei que essa decisão do todo-poderoso Dana White – sempre contrário à participação feminina no UFC - pode se tratar apenas de uma jogada de marketing, mas não deixa de ser auspiciosa, pois rompe mais uma barreira no até então chamado Clube do Bolinha da porrada.
Cris Cyborg Cris Cyborg
Sara McMann Sara McMann
Miesha Tate Miesha Tate