quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Facebook, o caminho mais curto para a depressão

Facebook 10assinatura post Em um estudo anterior, viu-se que uso excessivo do Facebook pode provocar comportamento anti-social, além de problemas sérios à saúde, tanto física como mental. Agora, uma nova pesquisa diz que essa mesma rede social pode deixar seus usuários depressivos.

Segundo pesquisa realizada pelos cibersociólogos Hui-Tzu Grace Chou e Nicholas Edge, da Universidade Utah Valley (EUA), quanto mais tempo se passa no Facebook, maior é a chance de se achar que a vida dos outros é melhor que a nossa.
Isso porque a maioria das pessoas não posta a realidade de seu cotidiano quando ele não é atrativo aos demais usuários. As atualizações geralmente dão uma visão distorcidas dos fatos.
No Facebook tudo é alegria. Quase ninguém posta fatos ou  fotos tristes. Por exemplo: mesmo que uma viagem tenha sido um total fiasco, lá está uma foto que só retrata um único momento aleatório de felicidade, o que do outro lado do monitor nos leva a concluir que toda a viagem foi um sucesso absoluto, de total felicidade. Quando, na realidade, não foi assim tão maravilhosa a coisa.
Para esta pesquisa foram utilizados mais de 400 estudantes voluntários, onde foi questionado “se estavam felizes ou não com o rumo das coisas” ou “se os amigos pareciam felizes”. Outras questões abordadas foram do tipo “se a vida é justa” e “se muitos dos sues amigos têm uma vida melhor que a sua”.
A conclusão foi que quanto mais horas uma pessoa passa no Facebook, maior é a chance de achar que a vida dos outros é melhor que a sua, principalmente quando o contato é praticamente só virtual. Fonte