segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Padre dispara revólver de água benta nos fiéis

Padre Humberto Alvarezassinatura post O pároco de Ojo de Agua, em Saltillo (México) celebra a missa de domingo de casula decorada com imagens do Super-Homem, Batman ou Homem-Aranha.  O objetivo do padre Humberto Alvarez é tenta atrair a atenção das crianças durante o ato religioso. Para benzer as crianças ele usa um revolver de água.

Padre Humberto Alvarez  2 A primeira vez que ele usou a casula com os super-heróis foi durante uma missa na Catedral de Santiago, em 2012, mesmo ciente de que nem todos veriam com bons olhos a sua decisão. E não deu outra: foi criticado pelo bispo de Saltillo, Raúl Vera López, mas não mudou o seu ritual.
Padre Humberto Alvarez 1 Nascido em 1972 e ordenado padre em 1999, Alvarez  se veste com t-shirts , calça jeans e tênis. E, apesar das críticas de alguns fiéis pela sua ousadia, ele não dá a menor bola, uma vez que a sua estratégia tem servido para atrair mais crianças e adultos para a missa de domingo.
"Havia um grupo de pessoas que me apoiava mas que e que deixou de fazer por causa da casula. Disseram: 'Padre, não estamos de acordo, não gostamos que faça uma caricatura daquilo que é sagrado' e foram embora da igreja", disse o padre.
Padre Humberto Alvarez  4 Também a utilização do seu revólver de água para disparar água benta não foi casual. Os habitantes de Saltillo viviam com medo devido à violência e aos tiroteios na cidade. Por isso, ele decidiu usar um revólver de brinquedo oferecido por um garoto que disse “quero disparar, mas com bênçãos”.
Padre Humberto Alvarez  5 “Escolhi o Batman e Super-Homem porque as suas histórias nós falam de atitudes de lutas e esforços para conseguir superar os medos, encontrar a paz e o perdão", explicou. "Jesus sempre buscou a justiça. Devemos seguir o seu exemplo", argumenta. Fonte

2 comentários:

  1. Anônimo diz:

    logo,logo essa besteira xega aki no brasil,pais da crendice desmiolada....

    Zém diz:

    Anônimo, respeito todas as religiões e ateus. Só questiono os excessos. Creio que este não é o caso.

Postar um comentário