quarta-feira, 13 de março de 2013

Amputados: beleza, garra e superação

assinatura post O paralímpico sul-africano Oscar Pistorius foi notícia mundial não pela sua condição de atleta, mas pela acusação de ter assassinado a sua namorada, a modelo Reeva Steenkamp. Também assumiu ser usuário de substâncias dopantes, arranhando assim a sua imagem de exemplo de garra e superação.
Oscar Pistorius Pistorius foi o primeiro biamputado a disputar uma olimpíada usando duas próteses. Ano passado, em Londres, ele competiu de igual para igual e chegou às semifinais das provas dos 400m rasos. Na Paralimpíada, ganhou medalha de ouro nos 400m T44.
Bethany Hamilton driving through a barrel in Indonesia Fall 2009. Já um grande exemplo de superação é a surfista havaiana Bethany Hamilton. Depois de ter o seu braço amputado por um tubarão, em outubro de 2003, quando tinha apenas 13 anos, ela voltou a pegar ondas 2 anos depois.
Bethany Hamilton. 1 E não deu outra. Vence logo de cara o National Championships, equivalente ao colegial de surf norte-americano. Desde 2008 ela disputa o Circuito Mundial da Association of Surfing Professionals (ASP). Seu melhor resultado foi um 3º lugar, logo na primeira etapa que competiu.
AimeeMullins A norte-americana Aimee Mullins vai um pouco além. Ela é modelo, atriz e também atleta. Como atleta é detentora de 3 recordes mundiais  obtidos nos Jogos Paraolímpicos de Atlanta de 1996 (100 e 200 metros rasos e salto em distância). 
Aimee Mullins 1 Como modelo, se tornou embaixadora mundial (algo como porta-voz) da grife francesa de cosméticos L'Oreal Paris. Mullin também foi incluída na lista dos “50s Most Beautiful People’s World” da revista People e no cinema participou do filme “Cremaster 3”, do diretor Matthew Barney .
Spirit Squads 2012 Já a norte-america Patience Beardé é cheerleader da Universidade de Arkansas. Com apenas 6 meses de vida teve uma grave doença que a obrigou a realizar a amputação parcial da perna esquerda.
Patience Beard 3 Quando fez 16 anos, colocou uma prótese com aparência de zebra. Foi quando começou sua carreira de cheerleader. Sobre a escolha da estampa da prótese ela diz que é porque combina com toda a roupa. “Você sabe, sou uma garota", brinca.