quinta-feira, 23 de maio de 2013

Paul McCartney pede liberdade condicional para integrantes do grupo punk Pussy Riot

Paul McCartneyassinatura post Paul McCartney enviou várias cartas às autoridades russas para pedir liberdade condicional a duas integrantes do grupo punk Pussy Riot (algo como Vagina Raivosa), que continuam presas.
O ex-Beatle se mostra preocupado com a situação de uma das integrantes banda, Maria Alejina (foto abaixo), que iniciou ontem uma greve de fome em protesto por não poder assistir a audiência sobre a concessão de liberdade condicional.
Maria Alejina "Minha opinião pessoal é que continuar mantendo Maria presa será prejudicial para ela e para a situação geral que, certamente, está sendo observada por todo o mundo", afirma o músico, que já tinha expressado apoio ao grupo na época em que foram condenadas e presas.
Maria, que se encontra detida desde outubro de 2012, anunciou sua decisão ao tribunal por videoconferência. Ela solicitou permissão para participar da audiência, como ocorreu no mês passado com a outra integrante do grupo presa, Nadezhda Tolokonnikova (foto abaixo), que está em um centro de detenção da república da Mordóvia.
Nadezhda Tolokonnikova "De acordo com a grande tradição de imparcialidade pela qual o povo russo é famoso, entre os quais tenho muitos amigos, acho que a concessão deste pedido enviaria uma mensagem muito positiva para todas as pessoas que seguiram neste caso", afirmou McCartney.
Em outra carta sobre Tolokonnikova, Paul faz referência aos laços de amizade que os une há "muito tempo" com o povo russo, cujos valores, "como os meus familiares", se baseiam na "crença que todo o mundo deve ser tratado com compaixão e amabilidade".
pussy-riot 2 Maria Alyokhina e Nadezhda Tolokonnikova foram as únicas integrantes da banda a serem presas. Outras duas mulheres que faziam parte do grupo fugiram do país para evitar perseguição e prisão.
free-pussy-riot-poster O motivo da prisão foi porque elas cantaram uma "Oração Punk" no altar da catedral de Cristo Salvador em fevereiro de 2012, pedindo para que a Virgem Maria "livrasse a Rússia de Vladimir Putin”, o então primeiro-ministro e candidato à presidência do país, eleição que levantou a grandes suspeitas de fraude. Veja abaixo a tradução e vídeo da música. Fonte
pyssy riot “Oração Punk” (tradução livre feita pela Revista Veja)
“Mãe de Deus, nos livre de Putin!
Mãe de Deus, virgem, nos livre de Putin! Nos livre de Putin! Nos livre de Putin! 
Veste negra, ombreiras douradas!
As crianças da paróquia rastejam para fazer reverência
O fantasma da liberdade está no céu
Os homossexuais se vão para a Sibéria
O líder da KGB é sua mais alta Santidade
Os manifestantes terminam na prisão
Para não ofender os santos
As mulheres devem parir e amar
Lixo de Deus, lixo, lixo! Lixo de Deus, lixo, lixo!
Mãe de Deus, virgem, torne-se feminista, torne-se feminista, torne-se feminista!
A igreja reverencia líderes podres, procissão de limusines pretas
Na escola, vem um pregador: vá à aula, traga dinheiro!
O patriarca acredita em Putin 
Melhor seria acreditar em Deus!
O cinturão da virgem sagrada não impede as manifestações das massas
A virgem Maria está conosco nos protestos!
Mãe de Deus, virgem, nos livre de Putin! Nos livre de Putin! Nos livre de Putin!”

2 comentários:

  1. Vlad diz:

    A Russia não se dobrou a Madonna e muito menos se dobrará ao Paul McCartney. As nossas amiguinhas ai vão apodrecer na cadeia até quando a Russia se der por satisfeita; particularmente não acredito na baderna e no vandalismo travestido de revolução que esse grupo prega (boas intenções movidas por más ações), os metodos utilizados por elas são tão ou mais ruins que os dos opressores que elas condenam; doa a quem doer, que se faça cumprir a lei. E é só o resto do bando voltar que vai ser convidado gentilmente a se juntar a suas comparsas. Tchau Pussy Idiot.

    Zém diz:

    Vlad, tudo bem. Elas erraram ao se manifestarem da forma como se manifestaram. Defendo o Estado laico, como defendo o direito de qualquer um em seguir uma religião e ter seus templos respeitados. Entretanto, acredito que a punição deve ser proporcional ao delito. E nesse caso, ela foi muito pesada. Pior ainda seria apodrecerem na cadeia. Um absurdo, não cha?

    Quanto ao Putin, quem acompanha minimamente a política russa sabe do que ele é capaz para se perpetuar no poder, ora como presidente, ora como primeiro-ministro (posto criado por ele para se manter no poder). Creio que fraude eleitoral e corrupção são crimes mais danosos à sociedade do que o cometido por essas garotas. Que a lei seja severa para todos, então.

Postar um comentário