domingo, 5 de maio de 2013

RoboBee, o menor robô do mundo faz o primeiro voo

RoboBeeRoboBeeassinatura post Cientistas do Departamento de Robôtica da Universidade Harvard (EUA) criaram um minúsculo robô do tamanho de uma mosca capaz de voar como o inseto.  Pesando apenas 80 mg e com 3 cm de envergadura,  o tal inseto robótico é capaz de levantar voo verticalmente e se mover para os lados batendo suas asas 120 vezes por segundo, tão rápido que muitas câmaras não conseguem captar a sua imagem .
Apesar do nome RoboBee (Robô Abelha),  é o primeiro dispositivo robótico que imita com perfeição os movimentos de uma mosca doméstica e seu desenvolvimento consumiu mais de 10 anos de pesquisas (veja vídeo abaixo).
RoboBee 3 Suas asas são compostas por um fino poliéster reforçado com fibras de carbono e seus “músculos” são na verdade cristais piezoelétricos que se expandem e contraem quando um campo elétrico é aplicado sobre eles, gerando assim uma força mecânica .
Seu corpo foi feito com plástico e fibras de carbono que servem como articulações. Um sistema de controle comanda os movimentos do robô de forma muito ágil. Isso porque, em proporções minpusculas, qualquer mudança no fluxo de ar pode ter um grande efeiro na dinâmica de voo, e o sistema de controle precisa reagir muito mais rápido para o manter estável. Cada asa é controlada independentemente em tempo real.
RoboBee 2 Apesar do sucesso e da empolgação dos cientistas, essa pequena máquina  ainda tem suas limitações. Os voos duram no máximo 20 segundos, uma vez que a alta velocidade dos pequenos motores gera desgaste quase que instantaneamente. No total, um protótipo do RoboBee (que leva dois dias para ser construído)  tem vida útil de no máximo 15 minutos, somadas todas as vezes em que é acionado para testes. Agora os pesquisadores focam as pesquisas na substituição das pequenas partes mecânicas do robô com materiais mais duráveis.
Segundo os pesquisadores, o RoboBee poderia ser utilizado no monitoramento ambiental, operações de busca e resgate ou na polinização de plantações. Além disso, os materiais e técnicas de fabricação desenvolvidos para que o robô pudesse ser criado também podem contribuir para o avanço de diversas áreas da Ciência. Fonte

0 comentários:

Postar um comentário