quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Chocados, anunciantes britânicos boicotam rede social após suicídio de adolescente de 14 anos

Hannah Smithpost Rehtaeh Parsons, com 17 anos, e Amanda Todd, com 15, não foram as únicas vitimas fatais do cyberbullying. Semana passada, mais uma garota se matou enforcada pelo mesmo motivo. Trata-se de Hannah Smith (foto acima), uma garota de apenas 14 anos.
Rehtaeh Parsons Parsons (foto acima) morreu no hospital após tentar se enforcar em casa, em Halifax, no Estado da Nova Escócia, e Amanda (foto abaixo) foi encontrada morta em seu quarto após cometer suicídio.
Amanda Todd_thumb Esse triste episódio aconteceu um mês depois que ela publicou um vídeo onde denunciava que estava sendo vítima de bullying virtual no Facebook, depois que publicou uma foto em um chat mostrando os seios a um estranho, 3 anos antes.
Hannah Smith 1 E com Hannah não foi diferente. Segundo o pai, Dave Smith, as causas do suicídio foram sucessivos insultos feitos por meio da rede social de perguntas Ask.fm (uma rede social de perguntas)..
Hannah entrou no Ask.fm em busca de apoio moral por causa de seu tratamento de eczema, um tipo de inflamação persistente da pele. As mensagens que passou a receber diziam que ela deveria se matar por ser feia demais. O que de fato aconteceu.
Chocadas com o episódio, algumas pessoas se organizaram pedindo o boicote à rede social. "Desabilite seu Ask.fm. Você também pode ser vítima de ofensas um dia. Precisamos reduzir o número de adolescentes que cometem suicídio. RIP Hannah", escreveu a usuária Sophie Muscat no Twitter.
Hannah Smith 10 Devido a repercussão desse lamentável fato, anunciantes britânicos se indignaram e retiraram nesta quinta-feira (8) toda a verba publicitária destinada à Ask.fm, entre eles a ótica Specsavers, Vodafone, Laura Ashley, Durex, BT e Save the Children. Portais britânicos que veiculam publicidade do site, como jornal sensacionalista "The Sun", estão recebendo pressões para que também se afastem.
O primeiro ministro inglês,  David Cameron, também se manifestou publicamente e pediu às pessoas e às empresas que  boicotem os  sites  “vis” que permitem  cyberbullying.