domingo, 22 de setembro de 2013

Encontrar um sádico e mais fácil do que se imagina

sadicos 10post Deparar-se com um sádico na rua é muito mais provável do que se imagina . Os Hannibal Lecter estão por aí e nem nos damos conta disso.

É um comportamento tão comum que já o vivemos múltiplas vezes que sem saber o que aquilo significava: matar um animal, por exemplo, é uma forma de expressão sádica.
Segundo estudo realizado na Universidade da Colúmbia Britânica (Canadá) e na Universidade do Texas (EUA) envolvendo 70 estudantes de psicologia, existe mais sádicos soltos por aí que imaginamos.
Sem saber do que se tratava, eles tinham que escolher uma entre 4 tarefas desagradáveis: matar tatuzinhos, ajudar um pesquisador a matar tatuzinhos, limpar banheiros sujos ou suportar um banho de água bem gelada.
A maioria escolheu o banho gelado  ou impar banheiros, mas foram dispensados. Entretanto, 27% se ofereceu para matar os tatuzinhos, que estavam em copinhos com nomes de Muffin, Ike e Tootsie. Outros 27% se ofereceu para ajudar o pesquisador a matar os bichinhos.
Os participantes foram levados a crer que estavam passando os tatuzinhos por um moedor de carnes e, como esperado, os alunos que escolheram executar a tarefa eles mesmos foram os conseguiram maior pontuação em um teste de personalidade, no qual foi avaliado a concordância com frases como “machucar pessoas é excitante”.
Com o estudo, os especialistas sugerem que o sadismo talvez seja mais comum do que pensamos, embora na maior parte dos casos ele não se manifeste na forma do assassino sádico serial, mas de maneiras mais comuns no nosso cotidiano, na internet, por exemplo.
A próxima abordagem dos pesquisadores será o troll online. “A cultura da trolagem é única, na medida em que celebra explicitamente o prazer sádico”, comenta o psicólogo Erin Buckels da Universidade da Colúmbia Britânica. Fonte

1 comentários:

  1. interessante

Postar um comentário