quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Facebook se desculpa por anúncio com a imagem roubada de garota suicida vítima de cyberbullying

Rehtaeh Parsons 10post A história da jovem Rehtaeh Parsons com Facebook não poderia ser mais infeliz. Na verdade, uma tragédia. Ela tinha apenas 17 anos quando morreu no hospital após tentar se enforcar em casa, em Halifax, no Estado da Nova Escócia (Canadá).

Rehtaeh teria tentado o suicídio após sofrer cyberbullying por mais de um ano e meio em decorrência de um estupro que sofreu quando tinha 15 anos. Entretanto, o drama da família tornou-se mais sombrio quando seu pai viu a foto da garota em um anúncio no Facebook do site de namoro online Ionechat.com.
O anúncio trazia a foto de Rehtaeh com o texto "Encontre o amor no Canadá! Encontre garotas e mulheres para amizade, encontros e relacionamentos".
Rehtaeh Parsons Assim que tomou conhecimento do anúncio, o pai da garota falecida, Glen Canning, postou em seu blogue um artigo com o título “O pior anuncio da história do Facebook”: “Nem sei o que dizer. Estou desnorteado e enojado com isso. Essa é minha filha, Rehtaeh. E eles a puseram num anúncio de encontro de solteiros”, lamentou o pai da garota.
"É uma grave violação à nossa política de publicidade. É um exemplo extremamente infeliz de um anunciante que retirou uma imagem da internet para utilizá-la em sua campanha publicitária. Já removemos o anúncio e banimos permanentemente a conta do anunciante", disse um porta-voz do Facebook, acrescentando pedido de desculpas pelos danos causados. Fonte

2 comentários:

  1. Anônimo diz:

    ai nao fala tudo dizem que ela foi estrupada
    por um caras do colegio que ela frequentava e que ouve denuncia mas nada ficou provado ai começou a sofrer bulyng na escola e no facebooklixo ai nao aguentou a pressao
    e se suicidou .
    se alguem fez isso msm com essa familia que sofreu deve ser tremendo fdp.
    se errei em alguma informaçao me desculpem

    Zém diz:

    Anônimo, é só clicar no link no segundo parágrafo. Essa informação conta ali.

Postar um comentário