quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Princípio da vasectomia química, o novo método contraceptivo masculino está bem próximo

contraceptivo masculino
Pesquisadores passaram décadas colhendo fracasso após fracasso na tentativa de desenvolver um método contraceptivo masculino eficaz, cujos efeitos sejam reversíveis como aconteceu com a pilula feminina há mais de 60 década.
Pois bem. Parece que agora estão bem próximo disso. Uma pílula anticoncepcional masculina eficaz poderá ser desenvolvida brevemente depois que pesquisadores australianos conseguiram tornar ratos machos temporariamente inférteis.
Cientistas da Universidade Monash (Austrália) utilizaram ratos geneticamente modificados para testar o anticoncepcional, que bloqueia duas proteínas fundamentais para o transporte dos espermatozoides, mas não afeta seu desenvolvimento.
espermatozoides Em vez de tentar atacar a produção de espermatozoides usando coquetéis hormonais, a droga bloqueia o mecanismo nervoso que ativa a ejaculação, interrompendo assim a produção de 2 proteínas que controlam o transporte do esperma durante a ejaculação. Algo como uma ejaculação seca ou vasectomia química.
“Os testes demonstraram que apesar de os ratos terem relações sexuais normalmente e serem saudáveis, eles eram inférteis”, disse Sabatino Ventura, coordenador da pesquisa.
“Tentativas anteriores focaram no balanço hormonal ou em mecanismos que produzissem esperma disfuncional, incapaz de fertilizar. Mas elas interferiam na atividade sexual masculina ou causavam infertilidade permanentemente. No método proposto, a produção de espermatozoides não é afetada. Eles permanecem no corpo, mas não são liberados com o líquido seminal durante a ejaculação”, conclui Ventura.
pilula masculina Segundo Ventura, já existe uma droga capaz de inibir a ação de uma das proteínas pesquisadas. Falta o mesmo para a segunda. “A descoberta sugere uma abordagem terapêutica para a contracepção masculina. O próximo passo é desenvolver uma droga de uso oral que seja efetiva, segura e cujos efeitos sejam rapidamente reversíveis”. Fonte