quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Alan Moore dispara contra os super-heróis: “São verdadeiramente uma catástrofe cultural”

Alan Moore Quando Alan Moore fala, o universo das histórias em quadrinhos escuta. São poucas vezes, mas quando resolve quebrar o silêncio, suas palavras geralmente se tornam afiadas navalhas na carne da cultura de massa.

Watchmen Desta vez foi a última, pois o auto de Watchmen, a única história em quadrinhos eleita pela Time um dos 100 melhores romances desde 1923, anunciou que não vai conceder mais entrevistas, mas a bomba que lançou promete abalar o universo dos quadrinhos. Resumindo em uma frase: “Os super-heróis são a maior catástrofe cultural”.
“Para mim, abraçar o que são inequivocamente personagens infantis do meado do século 20 indica um recuo das esmagadoras complexidades da existência moderna ", disse Moore.
Marvel 1DC Comics "Acredito que uma parcela bem significativa do público, ao renunciar a entender o mundo em que vive, pensa que se pode compreender o vasto, o vazio, no mínimo finito, universos presentes na Marvel ou na DC Comics. Isso é potencialmente catastrófico, pois estamos de frente com a nostalgia do século passado dominando possessivamente o âmbito cultural, recusando-se a permitir que o presente desenvolva a sua própria cultura, pertinente e suficiente para a época atual”, conclui Moore. Fonte
Entretanto, essa não é a primeira crítica de Moore sobre o tema. Em novembro do ano passado, ele criou uma enorme polêmica ao dizer que odeia os super-heróis. A declaração foi durante uma entrevista para promover seu livro, “Fashion Beast”.
Os Vingadores “Não li nenhuma HQ desde que finalizei “Watchmen”. Eu odeio super-heróis. Acho que são abomináveis. Eles não significam o que significavam. Eles originalmente estavam nas mãos de escritores que queriam expandir a imaginação de leitores entre 9 e 13 anos. Hoje em dia, quadrinhos de heróis são feitos para um público de 30, 40, 50, 60, na maioria masculina. Acho que é um sinal alarmante quando  temos um público de adultos indo ver o filme “Os Vingadores”, cheio de conceitos e de personagens feitos para entreter um garoto de 12 anos dos anos de 1950”.

0 comentários:

Postar um comentário