quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

A maioria dos usuários no Facebook é “voyeur”

voyeurspost Em seus últimos tempos, o Facebook - que acaba de completar uma década - tem repetido publicamente que o seu número de usuários não para de subir. Concretamente, a empresa assegura que o seu crescimento global é de 22%. Entretanto, o que fazem esses usuários?
Segundo um recente estudo realizado por telefone pela Pew Research, com 1.800 adultos norte-americanos, a maioria deles são “voyeurs” . Eles não atualizam os conteúdos, simplesmente olham o que publicam os demais.
Entre eles, 61% dos usuários dizem já ter decidido voluntariamente ficar um tempo sem acessar a rede social. Apenas 10% dos mais de 1,20 bilhões de usuários atualizam seu perfil diariamente.
Quando se pergunta quantos usuários atualizam o conteúdo mais do que uma vez por dia, a proporção cai para 4%. Nem são números muito animadores sobre quantas pessoas comentam mais fatos uma vez por dial: apenas 15% de todos os usuários.
Pouco mais de um terço dos usuários nos Estados Unidos, país com maior presença na rede social, se irrita com pessoas que compartilham muitas informações pessoais e com indivíduos que publicam fotos suas sem pedir permissão antes.
Cerca de 10% demonstraram, de alguma forma, falta de interesse pelo site, enquanto outros 10% apontaram falta de conteúdo significativo como razão para os exílios da rede social. Excesso de fofoca ou drama de amigos incomodou a 9% dos entrevistados. Já 8% deles afirmaram reconhecer que passavam muito tempo no site e necessitavam de uma pausa.
Ainda de acordo dados colhidos pela Pew Research, 27% dos usuários planejam gastar menos tempo na rede social neste ano, enquanto 69% afirmam que passarão o mesmo tempo que antes. Apenas 10% dos entrevistados afirmaram que têm planos de gastar mais tempo no site.
“Esses dados mostram que as pessoas estão tentando fazer mudanças em suas vidas para acomodar novas ferramentas sociais”, disse à ABC News Lee Rainie, diretor da Pew Research e coautor do relatório.
”Para alguns, o cálculo central é como eles gastam seu tempo. Para outros, é mais um acerto de contas social à medida em que eles perguntam a si mesmos: “O que meus amigos estão fazendo e pensando e o quanto isso importa para mim?”, disse.