domingo, 27 de abril de 2014

Avril Lavigne se defende das acusações de racismo

Avril-Lavigne-Helly-Kittypost A cantora canadense Avril Lavigne defendeu seu novo vídeo com temática japonesa intitulada “Hello Kitty” (veja vídeo no final) de acusações de racismo. O vídeo teve inúmeros críticas na redes sociais por seu contudo "estereotipado" da cultura japonesa.
Lavigne se defendeu através do Twitter explicando que ama a cultura japonesa. "Amo a cultura japonesa e passo metade do tempo no Japão. Viajei para Tóquio para gravar esse vídeo especificamente para meus fãs japoneses, com meu selo japonês, coreógrafos japoneses e um diretor japonês".
Hello Kitty -  Avril Lavigne 1 Ela explicou que o título da canção faz referência ao personagem japonês de ficção famoso mundialmente . "RACISTA? LOLOLOL!", disse Lavigne no Twitter esta quarta-feira (23).
"A nova música e o novo vídeo são terrivelmente chatos e descaradamente racistas", comentou um usuário do Twitter.
O site norte-americano Bustle disse que a "descrição que o clipe faz de Tóquio, a sua utilização aleatória da língua japonesa e seus dançarinas silenciosas são atitudes racistas".
"De acordo com Lavigne, o Japão é apenas um campo de brinquedos nas lojas de doces , com trens de alta velocidade e restaurantes de sushi ", diz o artigo.
O site de vídeo jogos e cultura japonesa Kotaku disse que "o clipe não é racista, mas decepcionante. Para que fique cloro, nada retratado no vídeo sobre o Japão é realmente falso. Enfim, o vídeo é uma imagem estereotipada segundo a percepção de um estrangeiro. Racista não, apenas superficial ", afirma o artigo.
Avril Lavigne 10 A Billboard também criticou duramente o vídeo e a música. “A maior parte do vídeo traz a princesa pop canadense desfilando com quatro mulheres asiáticas idênticas, sem expressão atrás dela, apresentando movimentos de dança tediosamente genéricos".

1 comentários:

  1. Sinceramente?! Não vi nada de mais no clipe. alguns clipes tratam de assuntos realistas. Outros fogem completamente da realidade. Nunca vamos entender a cabeça do artista ou do produtor. Mas não achei de cunho racista o clipe.
    Seria o mesmo que dizer que os clipes da Lady Gaga onde aparecem homens de salto dançando são sátiras com tom de deboche.
    É só o estilo de cada artista.

Postar um comentário