quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

As mulheres bissexuais sofrem mais transtornos mentais que as lésbicas, garante estudo

Lesbicas AMulheres bissexuais sofrem mais problemas de saúde mental do que as lésbicas, de acordo com um estudo realizado no Reino Unido e publicado nesta quarta-feira (14) na revista científica Journal of Public Health.
As mulheres bissexuais têm 64%  mais chance enfrentar distúrbios alimentares, probabilidade 37% maior de sofrer automutilação e 26% de sofrer de depressão do que as lésbicas, segundo estudo realizado pela Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres.
O estudo foi baseado nos resultados obtidos a partir da análise de depoimentos oferecidos por 5.706 mulheres lésbicas e bissexuais, maiores de 14 anos e residentes em Londres.
“As bissexuais têm um risco maior de se tornarem “invisíveis” e de serem marginalizadas nas comunidades gays e lésbicas, assim como em quase toda a sociedade", diz o pesquisador Ford Hickson. Segundo ele, apesar de as bissexuais do estudo sofrerem menos discriminação, elas tinham mais problemas relacionados à saúde mental.
"Apesar das mulheres bissexuais do nosso estudo sofrerem menos discriminação em razão da atividade lésbica, isso realmente não resulta em benefício para sua saúde mental ", disse o cientista.
O estudo também constata que as mulheres bissexuais são menos propensas a revelar a sua orientação sexual para amigos, familiares e colegas de trabalho, e também mantém relacionamentos menos estáveis.
Lisa Colledge, coautora da pesquisa, observou que os seus resultados são semelhantes aos de outros estudos que traçaram as diferenças entre as pessoas bissexuais e homossexuais. "Apesar das mulheres não heterossexuais não terem uma saúde mental pior que as heterossexuais, as bissexuais mostram bem mais transtornos", afirma Colledge.