segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Próxima edição da revista Charlie Hebdo sairá com 3 milhões de cópias e terá caricaturas de Maomé

Primeira capa do Charlie Hebdo após ataque traz Maomé chorando, com a frase "Je suis Charlie" (Eu sou Charile, em português), lema dos protestos contra o ataque. Acima da imagem, a frase "Tout est pardonné" (Tudo é perdoado).

A próxima edição do semanário satírico francês Charlie Hebdo, que na semana passada foi atacado em Paris, sairá à venda nesta quarta-feira (14/01) - seu dia habitual, mas com uma tiragem de 3 milhões de cópias (*), traduzidas em 16 idiomas e com caricaturas de Maomé, segundo informa ao jornal Le Figaro, Richard Malka, um dos advogados da revista.
"É complicado, mas o novo número será fechado hoje (12/01) à noite", garantiu Malka. O advogado também disse à rádio francesa France Info que a revista incluirá também charges sobre políticos e religiosos e, obviamente Maomé, pois "esse é o espírito do 'Je suis Charlie'".
Anonymous - #OpCharlieHebdo
O grupo ciberativistas Anonymous lançou uma ofensiva contra sites islâmicos promovendo qualquer forma de extremismo. A iniciativa, batizada de "#OpCharlieHebdo", busca derrubar sites extremistas através de ataques DDoS. O grupo fez seu primeiro ataque na tarde de sábado (10), contra a página ansar-alhaqq.net, classificada em 2013 como "um site jihadista" pelos jornais franceses. (fonte)
"Nós nunca vamos desistir. Se não, nada disto faria sentido", afirmou o advogado e colaborador do semanário onde 2  jihadistas mataram na semana passada 12 pessoas, supostamente em represália pela publicação de caricaturas do profeta do islamismo.
"Faremos uma divulgação excepcional como gesto de vida e de sobrevivência", afirmou o advogado. Um redator do semanário, Gérard Biard, explicou à emissora que o desejo não é fazer um "número necrológico".
Para Malka, o lema popularizado após os atentados, "Je suis Charlie", é um "estado de espírito, que também defende o direito à blasfêmia e, evidentemente, o novo número da publicação incluirá caricaturas de Maomé. O humor sem rir de si mesmo não é humor. Nós rimos de nós mesmos, dos políticos, das religiões. É um estado de espírito", concluiu.

(*)Atualização: As primeiras estimativas para esta edição de quarta-feira apontavam para uma quantidade de 1 milhão de unidades.  Entretanto, na tarde de hoje decidiram pela tiragem de 3 milhões de cópias. 
última capa da Charlie Hebdo
Capa da última edição da revista "Charlie Hebdo", publicada na quarta-feira (7).
A nova edição da Charlie Hebdo traz desenhos de humor ácido com o atentado à sede da revista, há uma semana. Além de textos com homenagens aos cartunistas mortos, as charges usam os acontecimentos para fazer críticas sociais e piadas, inclusive com teor sexual. 
Nesta charge, terroristas mortos não encontram suas 70 virgens. Elas estão com a equipe do Charlie.
Usando um humor ácido, os chargistas falaram da fabricação de camisetas contra o atentado em Bangladesh.
Uma das charges retrata a morte sorrindo ao ver a edição na qual ela aparece na capa.

3 comentários:

  1. Anônimo diz:

    Essa capa é pura provocação. Não sei o que eles pretendem com isso. Talvez levar a consequências muito mais desagradáveis. No humor, não acredito na máxima maquiavélica de que "o fim justifica o meio"

    Anônimo diz:

    OS FUNCIONARIOS DA CHARLE EBDO, VACILARAM MUITO POIS JÁ ESTAVAM SENDO AMEAÇADOS, E CONTINUARAM NO MESMO LUGAR, SENDO ALVO FACIL PARA OS MALDITOS !
    TERRORISTAS LIXOS SOMENTE MORTOS !!!


    EXTERMINATOR

    LIBERDADE DE EXPRESSÃO O BARALHO...ISSO É PROVOCAÇÃO...JÁ TINHAM SIDO AVISADO ANTES...DEPOIS SOFREM REPRESÁLIA DOS FANÁTICOS FUNDAMENTALISTAS ...pronto e vão de novo cometer o mesmo erro ou sacrilégio...
    (não sou islâmico não sou fundamentalista não sou sequer católico ou evangélico mas respeitar a fé alheia e a religião seja ela qual for é DIVINO..).,depois sofrem atentados explodem a FRANÇA E O BARALHO À 4 ...vão mexendo com a crença vão..

Postar um comentário