quinta-feira, 30 de julho de 2015

Atrizes de Hollywood enfrentam Anistia Internacional por proposta de legalização da prostituição

HollywoodPor Zém -Atrizes de Hollywood levantou uma enorme polêmica envolvendo a Anistia Internacional. Entre elas, Meryl Streep, Kate Winslet, Lena Dunham, Anne Hathaway e Emma Thompson, todas claramente dos direitos das mulheres.
Elas assinaram uma carta rechaçando um documento da Anistia, no qual analisa a possibilidade de recomendar a despenalização da prostituição. No próximo mês, a ONG vai debater em Dublin (Irlanda) se seria conveniente recomendar essa possiblidade a governos e organizações internacionais.
Anistia InternacionalPor enquanto, trata-se apenas de um documento de trabalho interno intitulado Draft Policy on Sex Work (Proposta de Política Sobre o Trabalho Sexual) que os vários responsáveis da organização apresentarão para votação em sua reunião anual.
Porém, sua mera existência foi suficiente para que mais de 400 organizações de direitos humanos e defesa das mulheres se posicionassem e fizessem um abaixo-assinado com a participação das atrizes mencionadas e outras como Emily Blunt, Lisa Kudrow e Angela Bassett, pedindo à Anistia Internacional que jogue o documento no lixo. Veja abaixo o teor da carta.
clave“Estamos profundamente preocupado com a proposta da Anistia Internacional de adotar uma política que levaria à despenalização de cafetões, dos donos de bordeis e dos consumidores de sexo".
"Ainda que a Anistia tenha tardado em entender que os direitos das mulheres são direitos humanos e incorporar esse conceito em sua missão, é uma organização vista como modelo para a mobilização do público para garantir que o governo implemente os princípios da Declaração Universal dos Direito Humanos. Por isso, o documento prejudica essa reputação histórica."