terça-feira, 18 de agosto de 2015

Cara Delevingne e série “Orange Is The New Black” mudam conceito lésbico entre as mulhres

Cara Delevingne APor Zém - Atualmente, as mulheres estão mais dispostas a se identificar como “bissexual” ou “sem rótulo” quando são atraídas por outras mulheres.
De acordo com uma pesquisa realizada pelo site de namoro entre parceiras do mesmo sexo Her, houve uma queda de quase 20% no número de mulheres que se definem como lésbicas no último ano. 
E entre as 85 mil pesquisados, houve um aumento de 16% para 27% o número das que se identificam como “bissexual”, enquanto aquelas que se identificam como "sem rótulo" saltou de 1% para 9%.
Orange is the New BlackSegundo Robyn Exton, fundadora do site, a pesquisa aponta figuras como a modelo Cara Delevingne e a série "Orange Is The New Black" como responsáveis por essa nova maneira das mulheres encararem a sexualidade.
"A visibilidade das mulheres lésbicas até o ano passado era mais limitado. Você tinha apenas Ellen DeGeneres e Clare Balding. Agora você tem Cara Delevingne, que está em seu segundo relacionamento com uma mulher, dizendo 'Eu gosto de quem eu gosto'", explica Robyn.
A série “Orange Is the New Black” tem personagens cuja sexualidade não é presa à uma palavra. A protagonista Piper é o caso. Outros roteiristas, tais como Shonda Rhimes, “ Grey’s Anatomy”, também caminha por essa linha: seus enredos transitam por diferentes caminhos da sexualidade sem fazer qualquer barulho. Fonte
Grey’s Anatomy