sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Ministro do STF defende maconha e vira herói na web

Maconha - LegalizeNesta quinta-feira (10) a adesão se repetiu. Assim que os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) começaram a abrir o voto sobre a ação, o assunto tomou conta do Twitter. Dos 3 ministros que declararam seu voto – todos favoráveis ao direito ao uso da droga –, quem bombou nas redes foi Luís Roberto Barroso, que virou uma espécie de herói instantâneo da causa.
Luís Roberto BarrosoO ministro, que chegou ao STF em 2013, defendeu que o usuário possa ter até 25 gramas de maconha e plantar em casa seis pés – tudo para o consumo próprio. "A solução que nós 3 (GIlmar Mendes, Edson Fachin e o próprio Barroso) propusemos não corresponde ao sentimento majoritário brasileiro, isso porque o debate começou agora e ele é marcado por todo o preconceito que cerca o debate das drogas", ponderou Barroso.
STFSua argumentação foi clara em defesa da liberdade do uso da maconha e passou longe dos costumeiros rebuscamentos vistos entre os ministros da Corte. Ao fim da sessão, Barroso afirmou que a discussão é uma experiência pela qual o país precisa passar para discutir novas políticas públicas. Em seu voto, ele restringiu a descriminalização apenas para a maconha, ao contrário do que fizera Gilmar Mendes, que votou pela abrangência geral a todas as drogas atualmente ilícitas. legaliza-brasil“Essa é uma matéria delicada. Acho que a descriminalização e eventual legalização da maconha pode ser uma experiência que o país precise fazer porque a política de repressão não funcionou”, disse Barroso ao iG. “As implicações da descriminalização de outras drogas, como o crack, são diferentes."
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso enviou na última quinta-feira (17) uma carta aos ministros do STF defendendo a descriminalização das drogas no país. Nela, ele cita o filme “Quebrando o Tabu”, de Fernando Andrade, no qual tem papel central na discussão sobre o tema.

FHC defende a descriminalização de todas as drogas, e não apenas da maconha, como alguns ministros do Supremo defendem. Para ele, o consumo não pode ser considerado um crime para que “o usuário não passe mais pela polícia, pelo Judiciário e pela cadeia”, mas sim por hospitais ou trabalhos comunitários. As informações são da colunista Mônica Bérgamo, do jornal Folha de S. Paulo.

4 comentários:

  1. Esse Ministro é um imbecil e sua posição só serve para favorecer os traficantes. O STF deve decidir levando em consideração o bem para sociedade, mas os ministros petistas esquecem disso ao decidir porque não são capazes de ocupar o cargo.

    Anônimo diz:

    Isso mostra os tipos de pessoas que está nos três poderes. Aposto que ele deve usar também; não podemos confiar em ninguém.......

    kkkk favorecer o traficante??? a atual política que favorece os traficantes. a proibição só é bo para quem ganha dinhieor com ela, como vários políticos envolvidos no narcotráfico

    Anônimo diz:

    ainda bem q vejo pessoas sensatas em seus comentários, e nenhum maconheirinho drogado defecando justificativas para tentar argumentar sobre a liberação desta droga...

Postar um comentário